Artigos

inteligência artificial

Inteligência Artificial: Você é um robô?

Martha Gabriel é CEO da Martha Gabriel Consulting & Education, professora de pós-graduação em instituições como ESPM, Insper e PUC e palestrante nas áreas de Marketing Digital, Inteligência Artificial, Inovação e Educação, tendo sido premiada três vezes como melhor palestrante em congressos nos Estados Unidos. Sobre suas formações, ela é engenheira (UNICAMP), pós-graduada em Marketing (ESPM) e Design (Belas Artes), mestre e PhD em Artes (USP), com educação executiva em Inovação e Neurociência para Liderança (MIT).

Martha também é autora de seis livros e, tendo lançado recentemente sua mais nova obra, “Você, eu e os robôs: pequeno manual do mundo digital”, ela se apresentou no Encontro Locaweb dos Profissionais de Internet 2018, evento no qual a Agência Madison também esteve presente, para falar sobre Inteligência Artificial, um termo que ela considera genérico, uma vez que existem várias inteligências em IA (narrow, general, superinteligência).

Ao longo de sua palestra, por diversas vezes, Martha abordou a relação entre seres humanos e máquinas. Uma das pensadoras digitais mais influentes do Brasil, ela faz um alerta: “Tudo o que puder ser digitalizado e automatizado, será”. Por isso, precisamos ser relevantes para trabalhar junto com as máquinas. “Só seremos relevantes no que somos melhores do que as máquinas: empatia, ética e emoção”, afirma. Ela classifica os profissionais em três grupos, com os respectivos impactos causados pela transformação digital:

  • Mediano: vai ser completamente substituído.
  • Contato humano (como cuidadores, por exemplo): vai sofrer com as mudanças, mas ainda vai existir.
  • Alto grau de educação: vai ter facilidade para se readequar.

Martha não tem dúvida de que precisamos nos readequar o mais rápido possível, afinal, tudo muda muito rápido, inclusive a velocidade em que as informações aumentam. Nesse cenário, ela destaca quais são os skills mais valiosos nos dias de hoje: “Saber improvisar, que é diferente de quebrar galho, e estar pronto para situações adversas”.

Para não ser substituído por um robô, não seja um robô.

Principalmente um robô imbecil.

Enquanto a aprendizagem de máquina necessita de dados, ela acredita que os humanos devem ser capazes de aprender com tentativas e erros. Seguidora do cientista de computação Alan Turing, ela trouxe para sua apresentação a seguinte citação desse pioneiro em Inteligência Artificial: “Eu não consigo ver muito na frente, mas eu consigo ver muito do que eu preciso fazer agora para dar o próximo passo”. E o que fazer agora? Para Martha, o mais importante é preparar nossas crianças para que sejam pensadoras.

Sucesso! Hoje e sempre.

Postado por
Cláudio é responsável por Marketing de Conteúdo e Digital na Agência Madison