Artigos

growth hacking

GROWTH HACKING: VOCÊ SABE O QUE É?

A Agência Madison esteve presente, recentemente, no RD on the Road 2018, o maior projeto itinerante de Marketing Digital e Vendas da América Latina, na sua edição na cidade de São Paulo. Foi o segundo ano consecutivo que comparecemos ao evento organizado pela nossa parceira, a Resultados Digitais, e agora você confere a sequência do que rolou por lá – você pode saber como foi a palestra de abertura sobre criatividade na vida adulta, ministrada pelo Murilo Gun, clicando aqui.

GROWTH HACKING: TÁTICAS NÃO CONVENCIONAIS PARA ACELERAR NEGÓCIOS

Segundo Sean Ellis, criador do termo, autor do livro Hacking Growth e fundador do Qualaroo, podemos definir Growth Hacking como “marketing orientado a experimentos”. E quem levou dicas para tornar mais rápido o crescimento das empresas por meio de experimentos foi Raphael Lassance, referência em growth hacking no Brasil, co-fundador da primeira agência de growth hacking do país e administrador da maior comunidade de growth hackers da América Latina.

“Na hora de acelerar negócios, não tem fórmula mágica.”

Para Raphael, o growth hacking consiste em fazer testes e, aos poucos, incrementá- los, mas tudo baseado em métricas, dados e objetivos: “quem traz a certeza são os números”. Segundo ele, um growth hacker que não faz análises é apenas uma pessoa com opinião. Esse profissional, por sua vez, precisa ter habilidades que o definem como generalistas especialistas: conhecer um pouco sobre muitos assuntos (além de saber olhar a empresa como um todo) e ser muito bom em algum deles.

growth hacking

Fonte da Imagem: Resultados Digitais

Raphael Lassance afirma que o growth hacker precisa ainda ser uma junção de developer e marketer, ou seja, ele precisa saber aliar técnicas digitais e negócios. Confira abaixo alguns exemplos* de Raphael para o profissional de growth hacking aplicar no seu trabalho, acelerar o crescimento da empresa e provar resultados:

HACK DO BOLO

A ideia do profissional que sugeriu enviar um bolo aos clientes que fizessem aniversário mostra como trazer resultados com ações inusitadas. O projeto foi testado, sendo o presente enviado a 50 pessoas. Funcionou tão bem que acabaram aumentando o número para três mil bolos.

FACEBOOK LIVE

“O Facebook quer que a gente more dentro da rede social e a transmissão ao vivo atende isso”, diz o profissional. Isso porque as pessoas ficam paradas na tela assistindo, ao mesmo tempo que curtem e comentam o vídeo. Quando esse tipo de engajamento acontece, o Facebook “abre a torneira do alcance” e o vídeo é mostrado a mais usuários.

PALESTRAS

Falar bem em público também pode ser growth. É que muita gente “tem mais medo de falar em público do que de morrer”, diz. Escolher quem fala bem na empresa e colocar essa pessoa para participar de eventos também gera negócios, além de indicações. Ele usou seu próprio exemplo, de quando palestrou para 1800 pessoas no RD Summit 2017. Depois da apresentação, gerou 280 leads, 46 prospects, 12 reuniões e fechou 4 clientes. A ideia é fazer um levantamento dos eventos da sua área e, para quem está começando, apostar nos menores, que são menos concorridos, até ganhar experiência e ser convidado para grandes conferências.

VIAGENS

Ele sugere aproveitar o tempo para fechar negócios. Algumas semanas antes, comece a se conectar com empreendedores nas cidades para onde vai, iniciando conversas de maneira super personalizada e zero vendedora. Isso porque “mandar mensagem de venda no inbox do LinkedIn é feio”, conclui.

*Fonte: Resultados Digitais


Ter foco no crescimento, sempre promover experimentos e fazer o máximo no menor tempo possível. Se você se identificou com os conceitos, gostou deste conteúdo e quer ajuda para começar esse tipo de ação, fizemos um infográfico com um passo a passo para você trabalhar o growth hacking na sua empresa.

 

Fonte: Raphael Lassance

– Com informações do Blog de Marketing Digital da Resultados Digitais e do conteúdo elaborado pelo palestrante para o RD on the Road.

 

Sucesso! Hoje e sempre.

 

Postado por
Cláudio é responsável por Marketing de Conteúdo e Digital na Agência Madison